segunda-feira , 17 fevereiro 2020

Itirapina agrada turistas de todos os gostos e idades

Represa do Broa é uma ótima opção para quem gosta de esportes náuticos ou quer apenas curtir o por do sol. Foto: Rubens Chiri

A paisagem é exuberante. Cercada por morros, vales, lagos, rios, cachoeiras e reservas florestais, Itirapina é uma cidade privilegiada com cenários dignos de cartão postal. Localizada dentro da área de preservação ambiental de Corubataí, tem atrativos para pessoas de todos os gostos e idades. Ali é possível praticar desde simples caminhadas ou apenas curtir o por do sol às margens da represa até encarar esportes radicais como mountain bike, trekking e canyoning, entre outros.

A principal atração é o Parque do Saltão com suas três cachoeiras. A mais famosa delas é a que dá nome ao local e tem queda d’água de 75 metros. É impossível não se impressionar com a sua beleza. Para quem gosta de fortes emoções, ela é ideal para a prática do cayoning (descida de cachoeiras utilizando apenas uma corda, com técnica de rapel). As outras duas cachoeiras são a Ferradura (60 metros) e Monjolinho (12 metros).

Outro local muito visitado pelos turistas é a represa do Broa. Às suas margens, fica o

Monjolinho é uma das três cachoeiras do Parque Saltão. Foto: Rubens Chiri

balneário – a sua imensa faixa de areia o transforma numa grande praia de água doce. A represa é ainda uma excelente opção quem gosta de esportes náuticos como o jet ski e canoagem. É indicada também para aqueles que querem apenas descansar e relaxar ao lado da família.

No seu roteiro de viagem, inclua também uma visita à Estação Experimental, mais conhecida como Fazendinha. Mantida pela Secretaria do Meio Ambiente, ali são desenvolvidas pesquisas científicas e de educação ambiental. Ali você via encontrar a pista da saúde com cerca de 2.500 metros, área de recreação e trilhas de educação ambiental. Para conhecê-la, você vai pagar uma taxa de entrada que é revertida para a APAE local.

Para quem gosta de fortes emoções, a dica é a cachoeira do Saltão com seus 75 metros de queda d'água. Foto: Rubens Chiri

Se você quiser conhecer um pouco sobre a história da cidade, visite o distrito de Itaqueri da Serra. Fundado em 1839 por colonizadores portugueses da Ilha Madeira, o vilarejo deu origem à cidade e preserva até hoje toda sua riqueza histórica e cultural. Você ficará impressionado com a beleza das construções do final do século XIX e início do século XX. A capela de Nossa Senhora da Conceição mantém até hoje a pia batismal e a imagem da santa trazidas pelos colonizadores. Além dela, há a igreja matriz que foi dedicada a Santo Antônio.

Como chegar

Localizada a 220 quilômetros da Capital, você tem duas opções de caminho. A primeira é

Distrito de Itaqueri da Serra foi fundado por portugueses da Ilha da Madeira. Foto: Rubens Chiri

pela rodovia dos Bandeirantes (SP-348) até o km 168, onde há um acesso para a rodovia Washington Luís (SP-310). Quem prefere pegar a Anhanguera (SP-330) deve seguir até o km 153 e, logo após a passagem pelo pedágio, pegar o acesso à rodovia Washington Luís (SP-310). Na SP-310, siga até o km 206 e pegue a saída 206-B, passando por baixo do viaduto e contornando por cima da pista para entrar na rodovia Engenheiro Paulo Nilo Romano (SP-225).

Para conferir como está o trânsito nas estradas, acesse os sites da Secretaria Transportes (http://www.transportes.sp.gov.br) e do DER (http://www.der.sp.gov.br). O internauta pode ver o fluxo graças às 33 câmeras espalhadas pelo Estado que transmitem imagens em tempo real.

Itirapina conserva até hoje sua riqueza histórica e cultural. A igreja matriz é dedicada a Santo Antônio. Foto: Rubens Chiri

Deixe uma resposta

RSS48
Follow by Email
Facebook
Twitter150
YouTube0