quinta-feira , 19 maio 2022

Você gosta de aventura? São Paulo vai carimbar o seu passaporte

trilhasEngana-se quem pensa que São Paulo é apenas a terra dos grandes negócios. São Paulo é também a terra do ecoturismo. O Estado oferece diversas opções para os amantes da aventura – na terra e no mar. Para que a população se aventure e encare os desafios desses roteiros, a Secretaria do Meio Ambiente lançou os passaportes Trilhas de São Paulo e Azul.

A idéia é semelhante à adotada para os aventureiros que percorrem o Caminho de Santiago de Compostela, na Espanha. Quem chega ao final do percurso, ganha um carimbo para comprovar que cumpriu a missão.

Com os passaportes Trilhas de São Paulo e Azul, o governo promove a educação ambiental da população. Afinal, depois de curtir um dia próximo à natureza, respirar ar puro e superar obstáculos apresentados pelas trilhas ou ver as maravilhas submarinas, quem é que não se torna um defensor do meio ambiente?

Os passaportes

O Passaporte Azul foi lançado em setembro e deve seguir a mesma trilha de sucesso do seu antecessor.  A equipe do Programa Trilhas de São Paulo, em parceria com associações de mergulho e pescadores, mapeou oito roteiros de mergulho em cinco áreas de proteção marinhas do Estado. Quem se aventurar, não vai se arrepender: vai conhecer 80 pontos de mergulho entre resquícios de naufrágios, rica fauna e flora, além de conviver com as comunidades caiçaras das regiões litorâneas. Os pontos de mergulho indicados estão inseridos nas Áreas de Proteção Ambiental Marinhas – APAs do litoral norte e centro, no Parque Estadual Marinho da Laje de Santos e no Largo dos Parques Estaduais da Ilha Anchieta, de Ilhabela e da Serra do Mar.

A publicação traz ainda as particularidades de cada ponto, como profundidade, temperatura e condições de mergulho. Também é possível conferir mapas detalhados das áreas, indicações de como chegar e relatos sobre a vida marinha.

O Passaporte Trilhas de São Paulo foi criado em agosto de 2008 e oferece 40 sugestões de roteiros nas Unidades de Conservação Paulistas. As trilhas são classificadas em níveis de dificuldade baixo, médio e alto. O programa atrai cada vez mais amantes da natureza. De outubro de 2008 a julho de 2009 foram vendidos 6.014 passaportes – desse total, 4.019 já foram carimbados.

Da paixão à profissão

O consultor e educador ambiental Luiz Borges fez da paixão pela natureza a sua profissão. Graduado em Gestão e Monitoramento Ambiental pela Universidade Cidade de São Paulo (Unicid), ele é o coordenador uma empresa de ecoturismo na Capital. Borges já percorreu vários roteiros do Trilhas de São Paulo. “Já levei vários grupos para caminhar pelas trilhas e durante o passeio falo sobre a importância e necessidade da preservação ambiental. Mostro que não podemos, por exemplo, jogar lixo, remover flores e danificar a vegetação”, diz.

Outra aventureira de carteirinha é a professora Priscila Arantes. Mas, ao contrário de Luiz, ela confessa que há cerca de um ano era totalmente urbana e tinha aversão às atividades físicas. “Só mudei meu estilo de vida depois de um passeio com meu marido Marcos até a Pedra Grande, no Parque da Cantareira. Percebi que a natureza revigora qualquer um”, conta.

Priscila já percorreu 27 trilhas. “Procuro organizá-las para os fins de semana. Já levei meus irmãos e cunhado em algumas, mas quem sempre está comigo nessa é o Marcos. Ele agradece por eu ter mudado o meu enfoque sobre o que significa se divertir. Agora tenho mais equilíbrio e me sinto mais preparada para o dia-a-dia”, afirma.

Borges não poupa elogios para a iniciativa do Governo em promover o ecoturismo. “Programas de educação ambiental são muito importantes e essenciais para o desenvolvimento da consciência ambiental, conservação, preservação ou até mesmo na melhoria da qualidade de vida do indivíduo”.

Luiz e Priscila fazem parte da comunidade Trilhas de São Paulo do Orkut que hoje reúne 381 membros. A comunidade está agitada em torno de um desafio: quem vai percorrer o maior número de trilhas?

Como participar

Os passaportes são vendidos por R$ 5,00 nos parques e nas áreas que estão no roteiro. Na capital, os pontos de venda são a sede da Fundação Florestal (FF) e no balcão único da Secretaria do Meio Ambiente (SMA). Em breve, os interessados também poderão adquirir o passaporte pela internet.

Para obter mais informações, acesse o site http://www.trilhasdesaopaulo.sp.gov.br/

Deixe um comentário

RSS
Follow by Email
Facebook
Twitter
YouTube